terça-feira, 4 de agosto de 2009

Um núcleo que vem perdendo importância.

Hoje, recebi um livreto. Um amigo, evangélico, o entregou. O tema: "Família: meu maior patrimônio", do pastor Josué Gonçalves, da Assembléia de Deus, também terapeuta familiar e conferencista internacional.
O pastor Josué desenvolve uma campanha por todo Brasil, chamando a atenção para os valores da família. Entrem em contato, aqueles que assim o desejarem, pelo site: http://www.familiaegraça.com.br/, ou pelo e-mail: aline@familiaegraça.com.br.
A leitura chamou minha atenção pelo sentido forte e seguro das palavras empregadas. A primeira parte do livro tem o seguinte título: Respeito. E segue com uma breve descrição de experiências vividas e conhecidas pelo pastor e os seus familiares.
"Quem sabe respeitar o próximo, constrói confiança e credibilidade(...)os gritos começam quando termina a inteligência(...)respeito significa apreço, consideração, acatamento, deferência, obediência, submissão, referência, relação, medo e temor(...)Por que as pessoas costumam ferir aquelas que mais amam?"
Haverá quem conteste algumas afirmações, o que é saudável. Mas, inegável que estamos nos distanciando um pouco do objetivo família. O debate não se restringe a posições religiosas, simplesmente. Mas, a questões sociais que se agravam e nos agridem.
Questões que encontram respostas, e muitas, no seio familiar ou na sua ausência.
O pastor relaciona o amor ao respeito, de uma forma virtuosa.
"O amor sabe esperar sem se irritar; é paciente. O amor não é invejoso, porque respeita a alegria do outro. O amor não é rude; é gentil e diplomático. O amor não se irrita e nem é hipersensível; reage com respeito. O amor nunca se alegra com a injustiça; sempre espera que a verdade triunfe. O amor é leal, mesmo que para amar, você tenha que se sacrificar."
E complementarei por hoje, e só por hoje, com a citação, contida no pequeno livro, das palavras de Paulo:
"Mesmo que eu tivesse o dom da fé, a ponto de poder falar a uma montanha e fazê-la sair do lugar, ainda assim eu não valeria absolutamente nada sem amor."
Com sua licença, nobre pastor Josué, decidi atender ao seu pedido para que divulgássemos o livro. Gostei do que li, por estar alinhado a alguns pensamentos e momentos vividos.
E como acredito que, sabemos melhor quando passamos pela experiência, recomendo a leitura para reflexão.
Boa noite a todos,

Um comentário:

  1. Pois é. Um ensinamento tão óbvio e fácil, mas como parece difícil para quase todo mundo. Fico pensando se nestas questões haverá, na escola da vida, uma segunda época, espécie de recuperação; uma segunda chance de ser feliz direito, em paz. Aliás, as segundas chances sempre existem, o problema é que a maioria não aprende com a primeira reprovação. Estava com insônia e foi bom ler esse texto. Agora vou dormir. Bjs.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante. Avalie, critique, fique a vontade.