quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Uma vocação para o erro!

Explicação para as constantes derrotas para o Flamengo pode estar no pessimismo da torcida alvinegra.


Júlio Gracco - jgracco@jsports.com.br


Quando quer, a torcida alvinegra dá show!!! (Legenda de fotografia da torcida botafoguense em festa)

Por toda a rivalidade que se criou, a dor de uma derrota para o Flamengo machuca zilhões de vezes mais. Por que, mesmo com elenco e comissão técnica renovados, os anos passam, a sina continua e os jogadores fracassam quando enfrentam o maior rival? Muito se diz sobre a ação de forças ocultas, das incoerências do imponderável, nunca sobre a força do pensamento - negativa - dos próprios alvinegros. As coisas não acontecem só com o Botafogo por acaso, como você verá na reportagem a seguir.

Como disse o príncipe Hamlet, na famosa peça de Willian Shakespeare, "O bem e o mal não existem, o pensamento é que os cria". Reféns da deformação de seus conceitos, os alvinegros constroem sua história por linhas sinuosas, numa aventura tão perigosa quanto a corrida do clube para escapar do rebaixamento.

No clássico de domingo, as medidas de segurança fizeram com que a torcida alvinegra fosse realocada em setores do estádio que não estava acostumada a ficar, um deles localizado próximo à tribuna de imprensa. Do cubículo cheio de jornalistas, envolvidos por camisas branco e preta de todos os lados, pude acompanhar de perto o comportamento dos torcedores momentos antes de Lucio Flavio efetuar a sua cobrança.

"Acho que ele vai errar. Ele é amarelão. Botem outro!", esbravejou um senhor de cabelos grisalhos ao meu lado. Cerca de dez torcedores, nervosos, preferiam ficar de costas para não ver o pênalti. Outros tantos emitiram uma rajada de pessimismo com um olhar penetrante, que diminuiu o tamanho do gol na mesma intensidade de força com que deu asas ao goleiro adversário para efetuar a defesa. Resultado: o Botafogo perdeu o pênalti e a torcida alimentou ainda mais o seu pessimismo.

Hamlet pode até ter tido um final trágico, mas ao menos sabia com o que estava lidando. Pior para os botafoguenses, que culpam o mundo sem saber que o problema pode morar mais perto do que imaginam. O pensamento positivo pode ser, definitivamente, a saída para o reencontro com aquilo que os torcedores mais querem resgatar: o orgulho de ser alvinegro.

Um comentário:

  1. É ... tem quem não acredite nessa tal força do pensamento... mas ela existe!! Tenho provas disso na pele, mas o ser humano se deixa levar por inseguranças mil e acaba deixando que tudo lhe escape entre os dedos. Acho que os alvinegros precisam é de uma lavagem cerebral com intuito de uma renovação nas expectativas e positividade, enfim resgatar o "ORGULHO DE SER ALVINEGRO". Saudações ALVINEGRAS!! Um forte abraço!!

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante. Avalie, critique, fique a vontade.