terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Um só.

Em cada passo, um ato,
Um laço, o nó.

Em cada canto, um pranto,
Um manto, o pó.

Em cada lance, um instante,
O bastante, o só.

E em cada semblante, o alcance,
O deslize, a dó.

Em cada passo,
Em cada canto,
Em cada lance,
Em cada semblante,
Um só, bastante.

E, num instante,
A vida, de um só.
 
(Anselmo Verissimo)

Campeonato Brasileiro de 2009. Um outro ponto de vista.

Acabou o brasileirão 2009 e o Flamengo foi campeão. Brasileirão de tristes lembranças e melancólicas constatações: falseio, arranjos, manipulações, violência e atitudes antiesportivas.


Que o elenco do Flamengo é muito qualificado, sabemos todos. Que o Andrade conhece futebol como poucos, apenas alguns sabiam (?). Que, de fato, a imprensa esportiva anda carente de bons profissionais, já está mais do que claro.

Mas a tão decantada fórmula dos pontos corridos se mostrou vilã da esportividade, no seu sentido mais puro.

O Flamengo chegou ao título, por pequena margem de pontos, graças aos arranjos com Corinthians, liderado pelo “Fenômeno” (?) e Grêmio, atendendo aos pedidos desesperados de dirigentes, torcedores e (pasmem!) de alguns atletas (?).

Quem gosta e acompanha futebol percebe que qualquer um dos cinco primeiros colocados poderia ser o justo campeão. Destes, apenas o Flamengo não desperdiçou a oportunidade do título. E foi o último a possuí-la, contando com o auxílio luxuoso (saudades do Tim Maia) dos incompetentes Botafogo e Fluminense, que deixaram suas torcidas loucas de raiva, ao longo do campeonato, para safarem-se na última rodada.

E assim segue o torcedor. Consumidor voraz de emoções festeja e se alegra, com justiça, sem muito perceber. O produto é bem preparado e vendido, com certa competência, a uma massa ansiosa.

Espero que a fórmula do campeonato brasileiro seja aprimorada, de forma que tenhamos os quatro primeiro colocados disputando o título. Um quadrangular final. A prova dos nove. Sem arranjos ou jogo de interesses. Apenas o jogo da bola. Aquele que só os verdadeiros artistas sabem executar.


DOS FATOS MARCANTES.


• Ronaldo Angelim, que por pouco teria a perna amputada, fez o gol do título flamenguista.

• Petkovic, sem prestígio no Galo e no Peixe, encontrou aconchego no Ninho do Urubu. E comandou o Fla com talento e energia invejáveis para um senhor de 37 anos.

• O eterno Andrade, de tantos títulos brasileiros, disse presente quando “o tristonho” Cuca foi embora. Como era de se esperar, reuniu o grupo, colocou cada um em suas verdadeiras funções e acelerou para o título.

• O até então moleque-de-morro-favelado-alcoólatra-gordo-acabado Adriano, artilheiro... A R T I L H E I R O do campeonato, se encontrou com a vida. Com a felicidade. Com a família. Com os amigos. Com a sua casa. Com o sucesso. Entenderam idiotas da objetividade (sua permissão, mestre Nélson Rodrigues!) que o execraram em rede nacional?


  • A TORCIDA DO FLAMENGO. SEM COMENTÁRIOS. SÓ ELA JÁ SERIA MOTIVO SUFICIENTE PARA EXULTAR O ESPORTE.


• E, por fim, a grana. Grana, que a Petrobras não podia dar e o grupo ALE investiu. Grana, que a Nike se recusou a aplicar e a Olympikus aportou.

Vivas ao futebol. O esporte que mais se aproxima do teatro da vida tem por vezes seu enredo distorcido. Vamos colaborar para que ele fique mais emocionante, divertido e inquestionável. Até por que a vida anda muito dura. E tem uns caras por aí que vou te contar...né, Arruda? Brasília! Que lástima.



Valeu! Flamengo. Valeu! Estudantes.

É! Está dito.

Uma imagem de Jesus Cristo.

COMO ERA A PESSOA DE JESUS CRISTO.
(Conforme documento que se encontra em ROMA.)


Do governador da Judéia, Públius Lentulus, ao César Romano:

- Soube, ó César, que desejavas informações acerca desse homem virtuoso que se chama Jesus, que o povo considera um profeta e seus discípulos, o filho de Deus, criador do céu e da terra.

Com efeito, César, todos os dias se ouvem contar Dele coisas maravilhosas.
Numa palavra Ele ressuscita os mortos e cura os enfermos.

É um homem de estatura regular, em cuja fisionomia se reflete tal doçura e dignidade, que nos sentimos obrigados a amá-Lo e
temê-Lo ao mesmo tempo.

A sua cabeleira tem, até as orelhas, a cor das nozes maduras; daí aos ombros tinge-se de um louro claro e brilhante e divide-se, numa risca ao meio, á moda nazarena.

A Sua barba, da mesma cor da cabeleira, é encaracolada, não longa e também repartida ao meio.
Os seus olhos, severos, têm o brilho de um raio de sol; ninguém O pode olhar em face.

Quando Ele acusa ou verbera, inspira o temor, mas logo se põe a chorar.
Até nos rigores é afável e benévolo.

Diz-se que nunca ninguém O viu rir. Mas muitas vezes foi visto chorando.
Suas mãos são belas como Seus braços. Toda gente acha Sua conversação agradável e sedutora.

Não é visto, amiúde, em público. Quando aparece, apresenta-se modestamente vestido.
O seu porte é muito distinto.

É belo!

Sua mãe, aliás, é a mais bela das mulheres que já se viu neste país.
Se O queres conhecer, ó César, como uma vez me escreveste, repete a tua ordem e eu te O mandarei.

Se bem que nunca houvesse estudado, esse homem conhece todas as ciências.
Anda descalço e de cabeça descoberta.

Muitos riem quando, ao longe, O enxergam; desde que, porém, encontram-se face a face com Ele, tremem e admiram.

Dizem os hebreus que nunca viram um homem semelhante, nem doutrinas iguais às suas.
Muitos crêem que ele seja Deus. Outros afirmam que é teu inimigo, ó César.

Diz-se, ainda, que Ele nunca desgostou ninguém. Antes, se esforça para fazer toda gente venturosa.

OBS 1

A descrição acima foi traduzida de uma carta de Públius Lentulus a César Augusto, Imperador de Roma.
Públius Lentulus foi predecessor de Pôncio Pilatos como governador da Judéia, na época em que Jesus Cristo iniciou seu ministério.
O texto original encontra-se na biblioteca do Vaticano.
Comprovada sua autenticidade, tornou-se, fora da Bíblia, o documento mais importante sobre a pessoa do Senhor Jesus.

OBS 2

Sabemos também que após a crucificação de Cristo Públius Lentulus tornou-se seu seguidor e, juntamente com sua filha Lívia, levava a palavra de Deus aos povos da época.


























"A gravura, com a imagem de Jesus, pintada pelo próprio Públius Lentulus"

Texto enviado pelo amigo Wlater Ribeiro. Grato!
 
Está dito!
 
Que a paz de Cristo esteja vossos corações.