domingo, 21 de fevereiro de 2010

Volver a los 16...

Esta é uma postagem que faço com muito carinho. Não que as demais não fossem feitas. Mas esta tem um algo a mais pois volto aos meus dezesseis anos de idade. Foi quando encontrei meu primeiro grande amor. Thê. Era chamada assim. Uma contração quase absoluta, de seu nome peculiar. Nome este que ficará preservado, lógico. Era a morena mais incrivelmente linda. Corpo deslumbrante, no alto de seus vinte e um anos. Uma beleza feroz, aguerrida, insinuante, quente. E eu tinha 16 anos, próximo aos dezessete. Um menino.
Inacreditavelmente o encanto nos envolveu. Assim como as dúvidas e os questionamentos. Estávamos em 1976, ora! Quem admitiria, livremente, uma mulher de 21 anos com um garoto de 16. Hoje em dia seria assédio sexual (rs)...os tempos!
Nossa paixão foi fulminante. A vi chegar vestindo uma canga. Estávamos na região do lagos. Eu batia papo, dentro d'água, e o assunto era a morena que estava na mesma casa que nós, mas que eu ainda não conhecia. Ela havia chegado no dia anterior e eu naquele dia, indo direto para a praia. Ela fez aquela pose natural e estonteante para estender a canga na areia. Sabem qual, né?
Enfim, namoramos por seis anos. Um namoro espetacular. Livre, natural, apaixonado. Éramos tudo, um para o outro. Nos amávamos e entendíamos por música. Aquela música!!! Forte, vibrante, intensa, livre como nosso amor. Uma música nossa. Única.
O namoro acabou. Precisou que fosse assim. O motivo? Só Deus sabe. Teria que ser assim e foi. Simples. Como éramos nós. Mas a música sobrevive para trazer as melhores recordações.
Um dia, quem sabe falo mais sobre isso...
Samba Pa Ti - Carlos Santana

É! Está dito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante. Avalie, critique, fique a vontade.