sábado, 13 de março de 2010

Carioquice de verdade. Saudade...

Outro dia fiz uma postagem sobre a música composta por Chico Anísio e Nonato Buzar, "Rio Antigo", expressando minha saudade de um tempo que (acho!...rs) não vivi. Agora, fazendo uma bagunça aqui pela internet, encontrei um vídeo "maneiro" do D2.
Ele canta com Arlindo Cruz e Zeca Pagodinho, e falam dessa danada de saudade.
Vou me atrever a criar uma máxima: "A saudade foi inventada no Rio". Nem quero saber se alguém já disse isso antes. Se alguém disse, que me escreva manifestando-se. Até lá, a máxima é minha!(...rs...). Desculpem o atrevimento, mas eu avisei antes.
Falem aqui ao pé-do-ouvido deste blogueiro saudoso: procede, não é verdade?
Você, carioca, que viaja por uns dois dias para outro estado (não vamos longe). Dá uma saudade f...d...p... - para ser bem carioca (rs) - não dá? Aquele papo na rede de volei/futvolei nas areias da praia; a conversa fiada (que é papo sério) tomando um chopp geladinho e jogando um carteado num bairro qualquer da cidade...bom prá c...(adjetivo carioca pouco elegante mas muito expressivo).
Tudo o carioca batiza como "o melhor", "o mais...". E acho que esta é a grande diferença. Aqui, tudo é mesmo "mais": bonito, alegre, afável, amável, estável, inigualável, inimaginável...; os amigos são sempre os mais novos amigos de infância, e por aí vai. Ah! Exagero. O carioca é um exagerado, como este que vos escreve. Mas é por isso que nossa terra deixa tanta saudade.
Até daquele tempo que só ouvimos falar mas com o qual temos grande intimidade.
E chega de blá blá blá...
Com vocês: o hip hop - samba (nem sei se é assim que eles qualificam...rs) de Marcelo D2, Zeca Pagodinho e Arlindo Cruz.

É! Está dito. Muito obrigado. E desculpem a "marra carioca".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante. Avalie, critique, fique a vontade.