terça-feira, 2 de março de 2010

Infinito amor.

São tantos momentos em que te amei,
Dedicando cada segundo a um ato pelo teu amor.
Dias e dias, da minha mais absoluta concentração
Em tornar a vida feliz, para você.

Cada vez que respiro penso em ti.
Em todo gole d’água, você em minhas lembranças.
Uma noite de sono é confortável,
Quando meus sonhos me trazem você.

Decidi toda minha vida, por um prisma:
Você.
Cada instante de nosso amor me torna um deus,
Pois me agiganto em seu prazer.

Em todo encontro, mais vida.
Nos teus olhos embriago-me de esperanças e
No teu seio conforto minha dor,
Após cada luta em nosso favor.

Pelo teu corpo deito meu cansaço
E das tuas mãos recebo calor.
Amo, a cada milímetro de vida,
O amor que me inspiras.

Amor, infinito amor.
Deposita em meu coração, toda sua esperança
E verás crescer e prosperar a tua felicidade.
Amor, infinto amor, aqui estou.


(Anselmo Verissimo)

3 comentários:

  1. Puxa , a frase se fez completa!! Que frase?? De um antigo orkut...rs. Mais uma vez meu doce poeta,.... parabéns!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Muito lindo!!! Parabéns.
    Um Grande Abraço

    ResponderExcluir
  3. Fernando Pessoa consagrou a figura do poeta como um fingidor, que "finge que é dor a dor que deveras sente". Na verdade, o grande Pessoa quis dizer que, na verdade, era mesmo tudo verdade: a dor, o amor, a tristeza, as poucas alegrias que descrevia em versos. Talvez o fazer poético guarde a última passagem secreta para o ser que se é; e é isso que a torna irresistível para os que lêem. Sua poesia é linda e nos faz desejar o amor que descreves. Ave, poeta!

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante. Avalie, critique, fique a vontade.