quinta-feira, 15 de abril de 2010

Olhando no tempo.

Por uma fresta no tempo,
Olhei você, meu passado.
Havia lá bons momentos,
Mas também, dias amargurados.

Uma frase, um olhar...
Depressão, angústia e dor.
O diálogo que deixamos calar,
Paixão, ódio, rancor.

Mostra-me, passado soberano,
A substância que a tudo envenenou.
Traga-nos conforto e encanto.
Sublime alívio, para quem tanto amou.


(Anselmo Verissimo)

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigado, querida Hanna. Sabe que muito disso devo a você...

    Beijos.

    Anselmo

    ResponderExcluir
  3. Olá poeta! Bom vê-lo postar... me faz muito bem ler vc!
    bju

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante. Avalie, critique, fique a vontade.