terça-feira, 9 de março de 2010

Pois ouvi Azimuth!

Vem!
Segura minha mão...
Não tema!
É um belo passeio.
São nuvens cor de prata,
Algumas levemente incandescentes,
Só para aquecer você.
Sorria!
Estamos aqui, sós, na presença Deus.
Isto é tão perto quanto nascer.
Aproveite o olhar do Senhor,
Pois ele nos faz flutuar.
Desliza comigo pelas maravilhas do universo.
Estrêlas, nunca vistas, iluminam nosso vôo
E nos conduzem a uma outra vida,
De sonho e libertadade.
Vamos juntos e felizes, voar.
Navegar o universo e repousar no horizonte,
Onde uma chama de amor nos aquecerá e
Para sempre nos fará existir na comunhão divina de
De amar, voar, criar; eternizar,
Em harmonia com a vida.

(Anselmo Veríssimo)

Mulheres...

...que amamos, desejamos, admiramos,
Beijamos, acariciamos, aconchegamos.
Elas, com quem aprendemos e choramos...
E, outras, com quem apenas deitamos.

Lindas, belas, insinuantes, deslumbrantes,
Altivas e cultas; simples e divertidas.
Choronas, crianças, manhosas e dengosas...
Mulheres, por toda vida!

Queridas e odiáveis, sempre perdoáveis.
Petulantes e impulsivas; agressivas, vaidosas;
Destilando veneno e charme,
Degustando sonhos, mentiras e verdades.

Mulheres...

...de toda garra e por toda dor,
Para sempre, queridas!
Eterna partícula de Deus,
Fonte de amor e vida.

(Anselmo Verissimo)

É! Está dito. Muito obrigado e parabéns a vocês, mulheres da minha vida...