terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Torrente.

Tormento,
Torrente,
Devastação,
Medo.

Desespero,
Dor,
Horror,
Degredo.

Espanto,
Esperança,
Vida,
Constância.

Salvação,
Solidariedade,
Força,
Bondade.

Ação,
Autoridade,
Respeito,
Lealdade.

Natureza,
Naturalidade,
Reverência,
Santidade.

Espaço,
Educação,
Tempo,
Reciprocidade.

(Anselmo Veríssimo)

4 comentários:

  1. O inicio deste texto me reportou a tragédia que o Rio está vivendo(desculpe se não há ligação...me comoveu).
    Que Deus dê força e resignação aos sobreviventes e aqueles que perderam seus entes.
    Sel, é sempre uma satisfação lê seus pequenos, grandes, serios, engraçados ou criticos textos!...rs
    bju
    Marcia

    ResponderExcluir
  2. Anselmo,

    Seu texto, como sempre, sensível, crítico, raro. Um olhar poético sobre uma catástrofe sem igual.

    Uma devastação
    Sem trégua
    Sem piedade.

    Deixou à mostra
    A carne
    Branca, preta.

    Deixou à mostra
    O materialismo
    Rico, pobre.

    Deixou à mostra
    A insanidade
    Destroços, corpos soterrados.

    Deixou à mostra
    A língua
    Da incompetência, do derespeito desenfreado.

    Deixou à mostra
    Corações afogados
    Lágrimas, dor infinita.

    Deixou à mostra
    A doação
    O amor ao próximo e também a iniquidade.

    Deixou à mostra
    A empatia
    A constatação de que somos de carne, osso, com coração aberto, ainda que ferido, triste, muito triste!

    Um beijo,

    Márcia

    ResponderExcluir
  3. Muito obrigado pelos comentários. Embora a fonte inspiradora seja a de consternação.

    Querida Ariane, sua alma é muito generosa.Grato

    Marcia Juannes, queria ter um minúsculo fragmento de sua sensibilidade. Grato

    Marcia F. você é o carinho em pessoa. Grato

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante. Avalie, critique, fique a vontade.