sábado, 30 de abril de 2011

Saudade de mim?

Prá que saudade de mim?
Estarei sempre por aí a passear
Em teus pensamentos,
A rolar nos teus lençóis macios,
Nos sonhos da tua noite fria e vazia
Acompanhada apenas pelo luar triste
A iluminar teu leito.
Prá que saudade de mim?
Olhe bem ao teu lado, na cabeceira.
Te deixei a aliança onde dizia:"te amo".
É tua medalha, tua glória.
Não deixará que te esqueças
Que não precisas ter saudade de mim...
Pois que fui posto a pó, nos dias mais felizes de tua vida,
E pelos cantos me depositei, apenas para que não te incomodasses.
Não tenhas mais saudade de mim.
Ando por aí, em todo lugar, me escondendo de te encontrar.
Tirando, de todo, o tempo que foi teu lugar no meu coração.
Não! Não tenhas nunca, saudade de mim.

(Anselmo Verissimo)

6 comentários:

  1. Tristemente belo... ou belamente triste...
    Assim como a realidade, cheia de nuances, contradições, discursos implícitos, explicitudes silenciosas. Esta poesia me sugere a imagem de um lençol inflado no ar, cheio de palavras estanques, e que aos poucos, ao se depositar suavemente sobre a cama, cobre a dor serena que o poeta empresta às palavras para que elas se organizem em poesia. E a poesia, então, tenta consolar o poeta, colocando a dor em outro lugar. Bonita poesia...
    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. E por falar em Vinícius, aí vai o clássico Soneto da Fidelidade. Belíssimo de se ler e de se ouvir na música de Toquinho, narrado pelo poetinha.
    Beijos.

    De tudo, ao meu amor serei atento
    Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
    Que mesmo em face do maior encanto
    Dele se encante mais meu pensamento

    Quero vivê-lo em cada vão momento
    E em seu louvor hei de espalhar meu canto
    E rir meu riso e derramar meu pranto
    Ao seu pesar ou seu contentamento

    E assim quando mais tarde me procure
    Quem sabe a morte, angústia de quem vive
    Quem sabe a solidão, fim de quem ama

    Eu possa lhe dizer do amor (que tive):
    Que não seja imortal, posto que é chama
    Mas que seja infinito enquanto dure

    ResponderExcluir
  3. Só uma mulher insensível não se apaixonaria por um poeta assim. Qual dos dois? Ou todos dois...rs
    Felicidades, meu Sel.
    H.

    ResponderExcluir
  4. AMEI! COMO AMO TUDO EM VC.

    ResponderExcluir
  5. Não vou nao, não posso não, não quero não..rss
    beijo enorme!..rs
    (Gostei do novo modelito da pagina)

    ResponderExcluir
  6. ESTOU COM SAUDADE DE TI... NÃO PODES IMPEDIR QUE EU SINTA... PODES IMPEDIR QUE TE VEJA, MAS NÃO QUE SINTA SAUDADE DE VC,BJSSSSS!!!

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante. Avalie, critique, fique a vontade.