quarta-feira, 29 de junho de 2011

De noite na cama...

É só por que não durmo
Que penso e escrevo.
É só por que penso e escrevo,
Que não durmo.

E por assim acontecer,
Tenho desejos, sonhos(?) frustrados,
Amarguras revividas
E travesseiro molhado... e mais um sono perdido.

Repasso dias sem fins
Nas noites açoitadas pelo pavor.
Pavor de deitar, rolar...deitar e rolar?
E pensar, enrolar...e não dormir.

Não durmo. Quero, preciso,
Mas não durmo. E curto o Face,
Músicas, saudades...e saudade de dormir tb.
Nem sei se necessariamente com alguém...dormir apenas!

Sono, sonho, ronco...(eu quero roncar de me acabar!)
Repouso, descanso, relaxamento,
Valium, Diazepan...caraaamba...
Fin...al...mente...bo...a noite...aaa..ttt. nhã...

(Anselmo Verissimo)

3 comentários:

  1. Vc continua escrevendo bem, há muito tempo não lia nada seu. Mas escrever bem, não significa q há uma analise ou avaliação verdadeira... "nem sei se necessáriamente com alguém". Será??? rsrs

    ResponderExcluir
  2. Preocupante, juro. Resolva isso, sob pena de perder de vez a poesia da vida - aquela escrita por um poeta anônimo, de mãos invisíveis. Há muito eu não passava por aqui. Mesmo insone, foi bom encontrar uma poesia. Bjs e boas noites.

    ResponderExcluir
  3. Esse trechNão durmo. Quero, preciso,
    Mas não durmo. E curto o Face,
    Músicas, saudades...e saudade de dormir tb.
    Nem sei se necessariamente com alguém...dormir apenas!o de sua poesia, fala muito de mim... bjs.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante. Avalie, critique, fique a vontade.