sábado, 5 de fevereiro de 2011

Meio assim...

Sou cinza,
Escombro,
Cicatriz,
Saudade.

Impetuosidade,
Liberdade,
Alegria,
Dignidade.

Conhecimento,
Inocência,
Confiança,
Autoridade.

Sou o senhor dos meus passos e caminho com tranquilidade pela vida que escolhi.
Sou o encanto de sonhos descabidos e o suporte das vidas necessitadas.

Sou esteio,
Penumbra,
Luz,
Carinho.

Amor,
Ilusão,
Flor,
Espinho.

Paz,
Tormento,
Decisão,
Afastamento.


Não caminhe o meu caminho, não adentre ao meu camarim.
Não me sonhe o seu sonho, não cobre seu amor a mim.

Sou etéreo,
Incandescente,
Imponderável,
Transigente.

Mas não sou sua vida e não tenho lugar em ti, quiçá em mim...
Sou o eu de mim mesmo, que a vida cuida e leva...

É! Sou, talvez, assim.

(Anselmo Verissimo)