quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

volver al pasado

Dia vinte e tanto, do tanto, de mil novecentos e um tantico.

Chapéu panamá,
Terno de linho,
Cigarrinho de palha no dedo,
Gomalina no cabelo.

Criança na calçada,
Polícia desarmada,
Professor que é doutor,
Médico que é professor.

Mãe que organiza,
Mulher que educa,
Esposa que ama,
Amiga que escuta.

Ar que se repira,
Tempo que se aproveita,
Futebol que é de amigos,
Amigos que se respeitam.

Sol que não machuca,
Mar em que se mergulha,
Maraca , " O Maior",
O mundo melhor.

Volta, de volta,
Essa volta que a vida dá.
Volta, de volta,
E vem de novo sonhar.

(Anselmo Verissimo)