sábado, 21 de julho de 2012

Confusões de confusão a confundir. Apenas uma manhã diferente.

Hoje, acordei com uma confusão de ideias...Talvez por essas questões de acentuação. A tal, nova ortografia. Ideia, sem acento! Faça "idéia"...

Mas, falando sério, tais conflitos me perturbaram por toda manhã. Tal incômodo só passaria se escrevesse, pensei. E, aqui estou!

Era mais ou menos assim:

Um professor, que ganha uma "merreca", deveria valer quanto, no mercado de trabalho?
Respostas:
- Muito! Pois ensina aos futuros profissionais deste e de outros mercados.
Ou:
- Vale o quanto ganha hoje, pois ensina mas não produz.

Outra:

Um policial, que ganha uma "merreca", e expõe sua vida a todo risco deveria ganhar quanto?
Respostas:
- Muito! Pois dá segurança aos cidadãos, sendo profissional vinte e quatro horas por dia.
Ou:
- Vale o quanto ganha hoje pois, a maioria deles acomodam-se aos soldos e salários, buscando alternativas na segurança privada, impedidos de reinvidicar.

Mais uma:
Quanto vale toda evolução tecnológica?
- Muito! Pois facilita a vida de todos e traz conforto, rapidez e segurança(?).
Ou:
- Não vale muito, pois acelerou a vida das pessoas de tal forma que hoje os filhos não se comunicam com os pais na hora do jantar; o tempo disponível passou a ser aplicado na máxima produção profissional e intelectual, com fins salariais (Bônus/Participações em lucros); a relação entre pessoas tornou-se virtual...

Tem mais outra:

Hum!!! Acho que isso ficou chato demais. Foi escrito há muito tempo. Mas...

Isso pode sr mais interativo. E você, nos comentários do blog, pode fazer sua "com fusão" de ideias.

Arrisca? Vai lá. Publicamos aqui, conforme o aval do moderador.

Boa tarde! E um forte abraço.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante. Avalie, critique, fique a vontade.