quinta-feira, 17 de julho de 2014

Do "Hexa" prometido ao "Penta" passado a limpo.

"Hexa"! Promessa vã. Não estamos preparados. O pós Copa do Mundo nos traz para a dura realidade. Nossos jogadores ainda são muito bons. Desde que selecionados os melhores, podemos formar boa equipe de futebol. Mas, nossas instituições precisam de nova organização. A administração do esporte requer modelo atualizado. Um corpo diretivo com capacidade para planejar o futuro, onde não apenas o talento seja pilar mas que esteja inserido num processo de atleta e cidadão como um fim. 
Não existe fórmula para um modelo perfeito. Se pensarmos exclusivamente na formação de atleta de futebol, nosso trabalho será menos árduo que o dos alemães, por exemplo. Temos talentos brotando em profusão pelas "várzeas" do país. Basta lapidá-los tecnicamente.  Mas isso, de certa forma, já fazemos. 
A questão atual é que nossos concorrentes alemães especializaram-se a partir de suas limitações. Se não podiam competir com nossa matéria prima, criaram centros de excelência na formação de atletas com o pleno conhecimento e domínio do jogo. Atletas profissionais com cultura de base sólida, tanto do esporte como da vida em sociedade. Nos fundamentos do seu jogo de futebol, não assistimos passes ou domínios de bola equivocados. A leitura do jogo adversário era perfeita. O posicionamento e distribuição de funções dentro de campo eram precisos. O preparo físico atendia ao exigido, na intensidade que cada partida mereceu. 
Pelo lado social, conhecemos uma cultura que alinhou vida profissional e familiar como suporte a uma estratégia vencedora. Um conceito social histórico, que conheci na faculdade de Direito, dizia mais ou menos o seguinte: "Em Roma, seja como os romanos". Creio que os alemães resgataram algo dessa frase e aplicaram em sua estadia no Brasil. Criaram ações favoráveis à sua aceitação pelos "locais". Disponibilizaram-se. E o prêmio? Aprenderam mais do que esperavam e não só a gratidão e generosidade de um povo acolhedor. 
O "Tetra" alemão é um reconhecimento àquilo tudo que desenvolveram em suas academias de futebol, onde os pilares são: Talento, Inteligência, Personalidade e Velocidade. Enfim, um "baile" que começou fora de campo e culminou em vexatórios 7 x 1, no gramado.  
Uma forma de planejamento que devemos conhecer, estudar e moldar às nossas necessidades e objetivos, não só para aprimorar o espetáculo do esporte mais popular do país, mas também evoluirmos com os exemplos que tais métodos podem formar e nos oferecer.

Muito obrigado!!

2 comentários:

  1. Anselmo, poeta, boêmio, filosofo,culto, simples, amado e admirado por tanta gente.
    Que Deus continue dando,sabedora, entendimento e discernimentos.
    Parabéns
    Sua Admiradora - MR

    ResponderExcluir
  2. A copa no Brasil valeu por tudo que vc comentou acima Anselmo.
    Sonharemos com novos dias melhores para copa 2018!

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante. Avalie, critique, fique a vontade.