quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Tempo. Decisão. O plantio e a colheita.

Eu posso. Eu posso tudo querer. Eu posso tudo ter. Basta que eu faça. Não para ter por simples querer, mas pelo mais simples prazer de gostar de fazer. E há custos em todo fazer. Na construção daquilo que se sonha há um custo a empreender: desprender-se, anular carências, vencer paixões e vaidades...entre outros.

Viver é assim. Nascemos para morrer. Mas não esperamos sentados que a morte nos alcance. Investimos na vida. Semeando e colhendo. Um ato em cada tempo - semear e colher. Sonhar e realizar.

Junto à semente plantada vão os sonhos. A colheita? Ah!!! Pense no que o tempo, o clima, a saúde, o ânimo e a fé podem fazer, por exemplo. Você investiu no sonho mas nem tudo é possível fazer para que ele se realize. E se ele não se realizou com a colheita pretendida, te forneceu força e conhecimento para empreender novo cultivo. Você colheu lições. Agora só precisa decidir o que fazer com elas.

Decidir, eis a questão. Decidir, segundo a *gramática, pode ser:

Determinar, resolver. Ser causa imediata. Concluir, fechar, ultimar (contratos, negócios, etc.). Emitir opinião ou voto; sentenciar. Dispor. Resolver-se. Tomar a sua decisão. Optar, dar a preferência. Confrontar: **dissidir.
*( "decidir", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa.), **(grifo do blog).

E a mesma gramática, também deixa um sutil (dissidir) espaço para uma decisão de perda - chamemos assim para manter o contexto. Decidir: não fazer, não querer, não realizar, não empreender. Não por preguiça, leniência, desídia ou coisa que o valha. Mas, simplesmente por que o seu tempo assim o determinou. 

Entenda seu tempo. É mais fácil que entender a si mesmo - se é que isso seja fácil para você. É estar no seu presente. Os fatos não podem simplesmente decidir por você. Lembre-se, do plantio à colheita deve existir o cultivo. E as intempéries podem sobrevir.

O hoje é o que temos. Diz, a Sagrada Escritura: "alegre-se, hoje é mais um dia do Senhor..."

Decidir é com você. 

Use o amor como única ferramenta. Não espere que te entendam. Que simplesmente aceitem sua decisão. Arque carinhosamente com as consequências dela, sejam quais forem. Seja gentil consigo mesmo. Semeie a paz no seu coração.

Se há um investimento que vale a pena, esse é o amor. 

E nele, embora não pareça, o custo é zero, o lucro é certo. 

Plante-o, cultive-o e a colheita será plena de satisfação e engrandecimento.

No mais...bem, a decisão é sua.


(Anselmo Verissimo)

2 comentários:

  1. Sim, sim.. navegar é preciso, mesmo quando em tempestade; viver não é exato. Mas se há males que vêm para bem, então não há males; tudo é bem. Aceitar o que nos é dado sempre com gratidão, seja lá o que for ou o que pareça ser, é um exercício de confiança na providência divina... é estar sempre satisfeito. Mas um carinho às vezes faz muito bem...rs. Coração agradecido de Hanna pelo chamego do "te adoro". Eu também... Bjs

    ResponderExcluir
  2. "Não se admire se um dia um beija-flor invadir
    A porta da tua casa te der um beijo e partir
    Fui eu quem mandou o beijo..."
    (Geraldo Azevedo)
    Com beijos da Hanna e da Jô

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante. Avalie, critique, fique a vontade.